Doenças

Doença renal em gatos: há como evitar?

31 de julho de 2017
doença renal em gatos

Oi, pessoal. Meu nome é Cristine, sou editora do blog Loucos por Gatos e estou aqui pra falar de um problema bastante comum: doença renal em gatos.

Não sou veterinária, portanto, o que vou dizer aqui tem a ver com minha experiência como amante de gatos, leitora do assunto e vivência com meu Pam.

Portanto, minha opinião não é profissional, qualquer problema com seu gatinho, por favor, busquem um veterinário competente.


Vou começar gerando um certo impacto e afirmando que SE VOCÊ TEM UM GATO, ELE PROVAVELMENTE VAI MORRER DE DOENÇA RENAL (mais cedo ou mais tarde). De novo, essa é uma afirmação sem qualquer base na realidade, pesquisas, etc., mas uma constatação diante de minhas experiências. Os gatos têm predisposição a doenças renais e, pelo que eu venho lendo, não se sabe o motivo.

| Como evitar a doença renal em gatos |

doença renal em gatos

Outro impacto: não há muito o que fazer. Mas o incentivo à ingestão de água e uma alimentação com rações de qualidade são as duas melhores maneiras de se prevenir o aparecimento precoce de uma doença renal. Claro, a visita a um veterinário de confiança e exames para check-up anual (para gatos novos) e com mais frequência (para gatos idosos) são completamente necessários. No caso dos rins, ureia e creatinina são os marcadores mais essenciais.

Já li também que muitos veterinários aconselham a fluidoterapia como forma de prevenção da doença renal em gatos, que nada mais é que a aplicação de soro subcutâneo em casa para ajudar a filtrar as toxinas. Mas isso tem que ser muito conversado com seu vet, porque o soro pode baixar os hematócritos e também causar edema pulmonar (ambos podem matar seu gatinho). A maioria dos vets aconselha apenas quando o gato estiver desidratado.


Leia também: Bolas de pelo em gatos, como evitar?


| Sintomas de doença renal em gatos|

Observar o seu gato é a melhor dica de todas, sempre. Vômitos, perda de peso, perda de apetite, maior ingestão de água, maior volume de urina, urina fora da caixinha, emagrecimento… todos esses sintomas podem ser de doença renal – ou não. Por isso, é preciso realizar exames e conversar SEMPRE com o veterinário.

Muitos gatos possuem doença renal crônica e vivem durante muitos anos assim, sem precisar de tratamento. Meu Pam era renal fazia uns cinco anos já e se foi aos 19, bem velhinho. Outros morrem em apenas uma crise aguda. Não há mágica que se possa fazer. Tem uma mistura de genética, alimentação e até fatores emocionais. Como nós, seres humanos.



| Tratamento |

Outro impacto aqui: NÃO HÁ MEDICAÇÃO PARA O PROBLEMA RENAL EM GATOS. O que existe são medicamentos para lidar com os sintomas, como o enjoo, as infecções paralelas, vitaminas para repor perdas e a tal fluidoterapia, quando o gato estiver desidratado. Para os rins propriamente ditos, não há medicamentos (por favor, vets, me xinguem se eu estiver errada).

Existe a possibilidade da realização de hemodiálise, mas isso não vai curar o pet, apenas estabilizá-lo. Também não é sempre indicada, é preciso ver com seu vet (frisando isso sempre!). Li também que já existe o transplante de rins, mas é uma técnica bastante recente, que implica em altos custos e possibilidades de rejeição, entre outras complicações. Também não é realizada em gatos idosos (geralmente os mais acometidos por insuficiência renal) porque os riscos aumentam muito.

Enfim, infelizmente nossos amiguinhos são predispostos a terem problemas renais. Cabe a nós ficar de olho sempre e ter um veterinário de confiança para auxiliar.

No mais, vamos dar muitos abraços, cheirinhos, beijinhos e amor pra nossos nenéns. Vida longa aos felinos de nossas vidas!

Um abraço a todos!


doença renal em gatos

Cristine e Pam: um amor além da vida!


Gostou deste artigo? Então lembre-se de compartilhá-lo clicando nos links abaixo!


Fonte:

Artigo Anterior
Próximo Artigo
Compartilhe nas redes sociais!

Você também pode gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário