Doenças

Obesidade nos Pets: Aprenda como prevenir e cuidar da saúde deles!

5 de julho de 2016

Nós temos a tendência de achar que quanto mais gordinho for o nosso cachorro ou gato, mais “lindos e fofos” eles serão. É como se nos orgulhássemos do excesso de peso, ou obesidade nos pets.

Porém, não há nada de lindo saber que um animal obeso corre sérios risco de saúde. Apenas um ou dois quilos acima do peso já favorecem o surgimento de doenças tais como diabetes, problemas respiratórios e doenças cardíacas, o que também aumentará consideravelmente a sua conta no veterinário.

É importante lembrar que é muito mais difícil para um animal de estimação perder peso depois de ter sido adquirido, portanto, aprenda a evitar que seu bichinho ganhe peso acima do recomendado para sua raça e idade.


| Estimule atividades físicas com seu pet! |

obesidade nos pets

Veterinários recomendam que seu pet pratique exercícios físicos durante cerca 30 minutos a uma hora ao dia, dependendo da condição física, idade e raça do seu pet.  Isso não significa que você tenha que caminhar / correr com seu animal durante uma hora todo dia, mas sim, que você deve estimulá-lo a brincar, correr pelo quintal, caçar brinquedos, etc., várias vezes ao dia. Natação, corridas no parque, buscar graveto, brinquedos que se deslocam, são exemplos de atividades que seu cachorro poderia fazer.

Mesmo que você não sofra de obesidade, mas tenha problemas de sobrepeso, não há nada melhor do que aproveitar a atividade física com seu cachorro para que você também se exercite! Fazer caminhadas diárias com ele trará benefícios para vocês dois!

ATENÇÃO: NUNCA passeie com seu cachorro na hora mais quente do dia, pois o asfalto poderá queimar as suas patinhas. E SEMPRE carregue com você água para que seu bichinho não fique desidratado.

Além de ajudar a emagrecer, os exercícios físicos nos animais contribuem para fortalecer os sistemas respiratórios e circulatórios, ajuda a tonificar os músculos, libera energia, espanta o tédio, ajuda na digestão, entre outros benefícios. No caso dos gatos, o exercício irá até ajuda-lo a dormir menos durante o dia, deixando de lhe acordar a noite.

| Escolha o tipo e quantidade correta de ração! |

O tipo de ração, assim como a quantidade ingerida por dia, se altera durante todo o período de vida dos cachorros e gatos. Filhotes costumam precisar de mais energias e proteínas do que os animais adultos. Fêmeas prenhas ou amamentando também precisam de maior quantidade de proteínas, minerais e energia. Os pets idosos, mesmo que continuem ativos, precisam de menos calorias do que os mais novos.

Se você não sabe a quantidade certa para alimentar seu pet a fim de mantê-lo saudável, converse com o veterinário. Não confie em tabelas nutricionais, pois a quantidade de ração varia de acordo com as atividades físicas que ele faz, além do tipo de comida que você dá.


Leia também: Troquei a Ração do Meu Pet e Ele Parou de Comer, e Agora?


Evite deixar um pote de ração cheio o dia inteiro para que seu pet coma quando quiser, pois isto pode estimular um exagero na ingestão da comida. Alguns animais comem tudo o que acharem pela frente, outros são mais controlados e comem até sentirem-se saciados.

Para o primeiro caso, é recomendado que a ração seja disponibilizada como “refeições”, ou seja, na hora e quantidade correta.

ATENÇÃO: Alguns pets estão sempre com fome.. Sério, SEMPRE! Então não confunda o quanto você deve alimentá-lo com o quanto ele quer comer!

Procure comprar rações com menor quantidade de calorias, principalmente para animais com estilo de vida mais sedentário. Algumas marcas possuem a quantidade energética na embalagem, ou você pode checar online. Rações com mais fibras, nestes casos, ajudarão a atingir a saciedade com menor quantidade de comida.

Prefira sempre rações Premium ou Super Premium, pois são mais saudáveis para seu pet.

| Diminua a quantidade de petiscos! |

obesidade nos pets

Primeiramente, NUNCA dê comida de humanos para seu pet. Isso fará muito mal a ele, e pode causar problemas de saúde.

Limite a quantidade de petiscos que você dá ao seu pet. Eles possuem calorias extras para seu animal, o que pode levar a um sobrepeso ou até obesidade nos pets.  Não queira recompensar a sua ausência durante o trabalho, ou alguma atitude legal que seu bichinho fez, sempre com petiscos. Ao invés disso, separe um tempo para brincar com ele, e dê carinho.

Uma dica que geralmente funciona com alguns cachorros é você guardar uma porção extra de ração tradicional e usar como se fosse recompensa. Você pode dar ao seu pet da mesma maneira que daria se fosse um petisco, o que o fará pensar que é uma ocasião especial.

Obviamente você não precisa parar com todo e qualquer tipo de petisco para evitar que seu pet fique obeso. Há alguns legumes, frutas e verduras que seu animal gosta, que fazem bem a saúde dele, e que podem ser usados em ocasiões especiais. Cenoura, pêra, brócolis são exemplos de alimentos que são saudáveis aos cães, em quantidades adequadas.



| Comece os bons hábitos de saúde desde filhotes! |

obesidade nos pets

Se você tiver a oportunidade de cuidar do seu pet desde filhotinho, aproveite para educá-lo com bons hábitos de vida (alimentação, exercícios, etc.) desde esta época. Mudar as “manias” de um animal adulto é muito mais complicado.

Se o seu filhote estiver ganhando muito peso, é possível que ele se torne obeso quando adulto. Além disso, ele pode diminuir sua expectativa de vida.

Filhotes costumam ser mais bem mais ativos, pois possuem muita energia para gastar. Estimule essas atividades, assim, quando crescer, a probabilidade de ele continuar um pet ativo é alta, e  diminui a probabilidade de ele sofrer de obesidade no futuro.

| Monitore o peso do seu pet regularmente! |

Se para os humanos não é fácil notarmos os quilinhos acima do normal até que as roupas comecem a ficar apertadas, imagine nos nossos pets. Todos os animais possuem um peso adequado para sua raça, idade e tamanho.

Por isso, para gatos e cachorros de pequeno porte, é recomendado que você monitore o peso do seu pet ao menos semanalmente, sempre no mesmo período do dia, nas mesmas condições. Dessa maneira, você poderá perceber qualquer aumento ou diminuição do peso antes que isso se torne um problema sério.

Dica: Sabemos que não é fácil manter a maioria dos bichinhos quietos na balança. Portanto, se quiser uma maneira mais fácil de monitorar o peso dele, tente subir na balança e anotar seu peso previamente e, em seguida, segurar no colo o seu pet, anotando o segundo peso. A diferença entre os dois valores será o peso do seu pet.

Cães de porte médio ou grande são complicados de serem pesados em casa, por isso, você pode monitorar as condições corporais do pet. Independente de o cão ser pequeno ou grande, todos devem ter cinturas visíveis.

Dica: Para averiguar a condição corporal do seu animal, pressione levemente os ossos do quadril, da espinha dorsal e das costelas dele. Em condições saudáveis, você deve sentir estes ossos com facilidade. Porém, os mesmos não devem ser vistos sob a pele facilmente (isso quer dizer que seu cachorro está magro demais!). Entretanto, se você precisar pressionar firmemente com suas mãos para sentir as costelas do seu cão, ele provavelmente está acima do peso. Averigue o corpo do seu bichinho com frequência, a cada duas semanas ou uma vez ao mês. Qualquer mudança que aparecer, você perceberá com essa técnica.

obesidade nos pets

Fonte: zoopetcare.blogspot.com.br

| Providencie o tratamento de qualquer fator de risco para a obesidade nos pets! |

obesidade nos pets

A grande parte das causas da obesidade nos pets são a alimentação em excesso e pouca atividade física. Entretanto, há alguma condições de saúde que podem contribuir para a obesidade nos pets, como por exemplo, o hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo, ou acromegalia (excesso do hormônio de crescimento – mais comum em gatos). Destas, muitas podem ser tratadas.

Se você notar que seu pet está comendo mais do que o normal, ou ganhando peso, leve-o ao veterinário para confirmar se não é nenhuma doença que está causando o problema.

Além das doenças que podem gerar a obesidade nos pets, animais obesos podem ter outros tipos de problemas de saúde, como artrite, diabetes ou hipertensão. Todas estas doenças podem diminuir o tempo de vida do seu bichinho.

ATENÇÃO: Embora não seja uma doença, e os veterinários recomendem sempre, a castração também pode fazer com que seu pet fique obeso. Por isso, animais castrados devem ter a atenção redobrada na alimentação e nos exercícios físicos.

Lembre-se: gordura nos bichinhos não é sinônimo de beleza! Cuide da Saúde do Seu Pet!


Gostou deste artigo? Lembre-se de compartilhá-lo clicando nos links abaixo, e ajude outras pessoas a prevenirem a obesidade nos pets!


 Fontes:

Artigo Anterior
Próximo Artigo
Compartilhe nas redes sociais!

Você também pode gostar

2 Comentários

  • Reply Tamyris 3 de outubro de 2016 at 9:52 pm

    Muito esclarecedor!

    • Reply Thayse 20 de outubro de 2016 at 6:51 am

      Obrigada, Tamyris! Continue visitando o site para esclarecer suas dúvidas quanto à saúde do seu pet!

    Deixe um Comentário