Geral

Medo de veterinário? 11 Dicas para tornar a consulta menos estressante!

28 de julho de 2017

Quem tem um pet sabe como é uma luta toda vez que precisamos leva-lo ao veterinário. Com algumas exceções, muitos cachorros e quase todos os gatos têm tanto medo do veterinário que tornam algo que deveria ser simples, em uma das situações mais estressantes do mundo, tanto para o pet quanto para você! Alguns donos até desistem de ir à consulta depois de tentarem colocar o gato na caixa transportadora ou o cachorro no carro! Como resultado, os animais não recebem os devidos cuidados que precisam e merecem em termos de prevenção e tratamento de doenças. Isso pode ser resolvido se você seguir algumas dicas interessantes que vão melhorar ou até acabar com o medo de veterinário do seu gato!


| Gatos com medo de veterinário |

#1. Pense como o seu gato.

Imagine como seu peludo se sente ao ser tirado da caminha quentinha e colocado numa caixa de transporte dura, depois em um carro barulhento para vivenciar uma viagem estressante. Como se não bastasse, ele chega a um lugar desconhecido, cheio de animais desconhecidos e de barulhos. Ele sobe numa mesa gelada e uma pessoa estranha começa a apalpa-lo, mexendo em sua boca, orelha, colocando um termômetro naquele lugar, e ainda leva uma ou duas picadas de injeção. Sinceramente? Se eu fosse ele, nunca mais olharia na cara do meu dono!

Ele não entende que isso é para o seu próprio bem. Se você entender o sentimento do seu gato, não vai cobrar algo que ele não consegue fazer por medo, nesse caso, medo de veterinário. Por isso, continue seguindo as dicas para diminuir o estresse do seu bichano.

#2. Entenda que não existem gatos domésticos agressivos, apenas assustados.

medo de veterinário

Seu gato é super carinhoso em casa, e quando chega ao veterinário ele se transforma no Wolverine? Isso é normal! Quando um gato está com medo ou dor, ele acaba mordendo e arranhando, principalmente se não consegue fugir. Com este comportamento, o gato passa a ser considerado agressivo, mas ele não queria estar ali. Ele está com medo ou dor. Por isso, entenda que seu gato não é bipolar, e nem agressivo, ele está assustado! Você sabia que o pânico modifica os batimentos cardíacos, muda a frequência da respiração e até altera o resultado de alguns exames de sangue? Por isso, é importante evitar esse stress.

#3. Utilize a caixa de transporte como uma segunda casinha.

Se o seu gato tem medo de entrar na caixa de transporte, a culpa é sua que só a utiliza quando ele tem que ir ao veterinário. Ele associou aquilo a algo ruim! Isso pode ser revertido se você transformá-la em um local confortável para descanso, brincadeiras e para se alimentar. Deixe a caixa em lugar da casa que o gato passa frequentemente, e forre com mantas quentinhas, brinquedo e até mesmo petiscos de vez em quando para atraí-lo.

Se isso não for suficiente para fazer com que o seu gato entre na caixa, tente comprar uma diferente. Há caixas com topo removível que permitem que o animal se mantenha na parte de baixo da caixa enquanto é examinado, causando menos stress.

#4. Acostume seu gato a viajar de carro.

medo de veterinário

Essa dica é mais fácil de realizar com filhotes, pois seu o seu gato já é adulto e tem pavor de carro, será mais difícil mudar esse sentimento, mas não impossível. É provável que você só tenha levado ele no carro para ir ao veterinário, certo? Então ele também associou a viagem de carro a algo ruim, ao medo de veterinário.

Habitue seu gato a andar de carro sem ter que ir ao veterinário. Comece por meter o gato na transportadora e andar com ele em volta da casa. Quando ele já estiver habituado passe a levá-lo a dar umas voltas de carro, dentro da caixa, em torno do quarteirão para ir se habituando. No final de qualquer saída recompense sempre o animal com uma guloseima de que ele goste bastante.

DICA: Sempre que marcar consulta com o veterinário faça-o de forma a ter tempo de colocar o gato na transportadora com calma e mantê-lo lá durante alguns minutos para ajudar a acalmá-lo.

#5. Cubra a caixa de transporte.

Ao cobrir a caixa de transporte com um lençol ou manta, você estará criando um esconderijo para seu gato. Ele se sentirá mais seguro num esconderijo com cheiros familiares, e o stress da viagem será reduzido e, consequentemente, o medo de veterinário também.


Leia também: Bolas de Pelo em gatos, como evitar?


#6. Deixe o seu gato viajar de estômago vazio.

Muitos gatos sentem enjoo no carro, é comum. Isso é conhecido como cinetose. Ao evitar dar de comer ao seu gato antes das viagens, ele provavelmente não terá tantos enjoos. Além disso, a comida pode ajudar bastante a acostumar o gato a aceitar as situações diferentes e os procedimentos desagradáveis. Mas, para o alimento se tornar um aliado, será preciso que seja desejado pelo felino, pois se ele estiver com um pouco de fome, aceitará os petiscos no veterinário mais facilmente. Para intensificar o desejo, precisamos controlar a quantidade de ração que o gato ingere, zelando sempre para não deixá-lo abaixo do peso ideal.

#7.  Acostume seu gato a se manipulado por um estranho.

medo de veterinário

Uma grande parcela do medo de veterinário é justamente o fato de ele ser apalpado por desconhecidos. Parece difícil, mas é possível habituar o gato a ser manejado por uma pessoa desconhecida. O especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, explica que você pode treiná-lo em casa, começando por segurá-lo firmemente por alguns segundos e recompensando-o imediatamente ao soltá-lo. Aos poucos, aumente o tempo em que você segura o bichano e aproveite para apalpar delicadamente cada pedacinho do corpo dele. Se o gato demonstrar um interesse contínuo pelo alimento oferecido, é sinal de que ele associa o procedimento a algo positivo e de que não está estressado demais.

Ao segurar o gato firmemente, tenha certeza de que não há como ele escapar. Se o gato perceber que existe possibilidade de fuga, ficará mais ansioso e esperneará cada vez mais. Para poder pegá-lo mais facilmente, caso ele saia das suas mãos, deixe-o com um peitoral durante os treinos iniciais. Nessa fase, convém também usar jaqueta jeans, para evitar arranhões nos braços e no peito.

Num estágio mais avançado, o ideal é contar com a ajuda de alguém que saiba segurar gatos corretamente, para verificar se o seu se deixa manusear por diferentes pessoas. Caso isso não ocorra, será preciso acostumá-lo a diferentes manejadores.

#8. Explique a situação ao veterinário.

Nenhum veterinário gosta que seus clientes peludos tenham medo dele. Por isso, explique a situação do seu bichano para que ele veja a menor maneira de manipular seu animal e escolher as pessoas mais pacientes para tratarem dele. As consultas veterinárias deveriam proporcionar momentos agradáveis e não de tortura para o gato. O ideal é que o proprietário e o veterinário tomem juntos os cuidados para evitar que a consulta cause trauma ou se torne uma experiência negativa para o felino.

Se o gato estiver estressado demais, é bom que haja a menor quantidade de apalpamento possível. Peça que o veterinário se atente ao horário marcado da consulta, e que não deixe seu gato esperando na sala da espera, principalmente com vários animais em volta, inclusive cachorros. Isso aumenta muito o stress  e o medo de veterinário dele.



#9. Não vá ao veterinário de estômago vazio com seu pet.

A pior coisa que os donos de animais fazem é chegar do trabalho às 18 horas e pegar o bichano pra ir à consulta. O stress do dia, a fome – pois você está apenas com o almoço no estômago, e o cansaço tornam tudo ainda pior. Se você fica estressado, você passará esse sentimento para seu animal. Você terá pressa em chegar em casa logo e a consulta pode nem ser tão proveitosa quanto deveria. Deixe o seu pet de estômago vazio – afinal, ele terá petiscos lá e você não! –por isso, você precisa comer antes de sair de casa com ele.

#10. Não deixe seu gato ficar passeando pela sala de consulta antes do veterinário entrar.

Por mais que você queira deixar seu gato livre para mostrar que está tudo bem, ao deixa-lo caminhar por toda a sala, ele vai ter tempo suficiente para reconhecer os cheiros de todos os animais que estiveram lá antes dele, o que aumentará ainda mais a raiva. Quando o veterinário chegar para a consulta, vocês já podem esperar por “riscação de fósforo”, arranhados e mordidas. Sendo assim, evite deixar seu animal livre. Quando menos ele inalar o cheiro de animais estranhos, melhor!

#11. Não tente segurar seu gato durante a consulta se você não tem esse hábito.

medo de veterinário

Parece sensato tentar segurar seu peludo durante a consulta para mostrar a ele que tudo está bem, que você não o abandonou e que logo vão para casa.

Só que ele não está te amando no momento e não liga para isso, pois está estressado e com medo de veterinário demais para se importar.

Por isso, deixe que o próprio veterinário e os técnicos ajudantes façam o trabalho, enquanto você fica com o coração partido do lado.

Eles fazem isso todos os dias e têm experiência em ligar com gatos assustados. Pode ter certeza que será melhor para você e para seu bichano.

 


Confira o vídeo que mostra uma técnica de colocar o gato na caixa transportadora sem sofrimento.


Gostou deste artigo? Então não esqueça de compartilhá-lo clicando nos links abaixo!


Fontes:

Artigo Anterior
Próximo Artigo
Compartilhe nas redes sociais!

Você também pode gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário