Geral

Gatos dentro de casa? Entenda por quê seus bichanos não devem sair à rua!

19 de julho de 2017

Os gatos sempre foram considerados animais que devem permanecer soltos e livres, com acesso à rua para caçar, passear e explorar. Porém, as ruas já não são mais locais seguros e nossos pets sofrem vários perigos se deixados soltos por aí. Por isso, este artigo vai explicar os motivos de por que você deve manter os seus gatos dentro de casa.

Esse é um assunto muito polêmico, e os donos de bichanos têm diferentes opiniões quanto a deixar o peludo indoor. Mas esperamos que, após a leitura deste artigo, todos entendam que a segurança do nosso pet SEMPRE vem em primeiro lugar!


Muitas pessoas não acreditam que é possível criar um gato sem que ele tenha acesso algum à rua. Mas a criação indoor é possível sim, e a cada dia, mais pessoas se convencem de que essa é a melhor maneira de cuidar e se dedicar à saúde de seus bichanos. Por natureza, os gatos são animais extremamente adaptáveis, e convivem muito bem em locais pequenos, pois são espertos e independentes. Não importa se você mora em um pequeno apartamento, ou se sua casa não tem quintal, ou se você passa parte do dia fora de casa trabalhando ou estudando. Isso definitivamente não é problema para seus gatos.

 | Dicas para manter seus gatos dentro de casa |

 Não é difícil manter seus gatos dentro de casa, mas algumas precauções devem ser tomadas para facilitar a adaptação dele. Abaixo você poderá conferir algumas dicas:

gatos dentro de casa

A primeira medida a ser tomada, principalmente para quem mora em apartamento é: tele suas janelas e sacadas! Não importa quantos metros quadrados tenha sua sacada, se fosse para um filho você com certeza telaria tudo sem pensar em preço, correto? Pois seu gato também precisa de um lugar seguro para não cair ou se machucar. Se você mora em casa, mantenha seu quintal seguro, como aumentar os muros ou colocar telas a fim de restringir o acesso a telhados de vizinhos ou árvores altas que dão acesso à rua.

Cerca elétrica também funciona, pois seu gatinho até poderá tomar um choque na primeira vez que se aproximar dela, mas certamente ele não voltará lá. Como bônus, a cerca ajuda a proteger sua casa de ladrões.

♥ Providencie um local seguro e confortável, com alguns brinquedos, água e alimentação de boa qualidade. Se você fica muito tempo fora de casa, pense em adotar outro gato, para que um faça companhia ao outro. Há quem diga que se um gato dá trabalho, imagina dois. Aí é que está o engano. Eles farão companhia um para o outro e você ficará mais tranquilo. Lembre-se de castrá-los ainda pequenos, pois isso evitará hábitos indesejáveis como demarcação de território ou brigas, e os deixará mais calmos, além de evitar cruzas indesejáveis e mais filhotes a caminho.

Mesmo mantendo seus gatos dentro de casa, eles necessitam de vacinação periódica e assistência veterinária de qualidade, pois eles ainda correm risco de eventuais problemas de saúde. Lembre-se que se você optou por adotar um animal, então agora ele é sua responsabilidade e depende inteiramente de você para que tenha uma vida longa e saudável. E isso é o que você quer para ele também, não é mesmo?

gatos dentro de casa

♥ Permita que seu gato tenha um espaço para correr, nem que seja do quarto para o sofá. Ao contrário dos cães que precisam sair para se exercitarem, os gatos são “caçadores de emboscada” e costumam correr bastante por períodos relativamente curtos. Um corredor de comprimento razoável pode ser considerado um espaço suficiente para isso. Existem gatos que correm como se estivessem em uma maratona por exatos 5 segundos e depois já tombam no chão, cansados! Esse comportamento, combinado ao instinto de enterrar as fezes, que acaba sendo suprido pela presença da caixa de areia, são bons indícios de que não há necessidade de deixar o gato sair à rua.

♥ Geralmente os gatos levam em torno de 15 dias para se adaptar a uma nova situação, como por exemplo, não sair à rua. Portanto, é melhor acostumá-los a ficarem dentro de casa desde filhotes.


| Por quê manter meus gatos dentro de casa? |

 Castração

Gatos não castrados que andam pelas ruas também contribuem para o aumento da população felina. Esse é um problema que lota os abrigos e resulta em milhões de animais abandonados e, talvez, sacrificados anualmente.

Seu gatinho não se machucará em brigas

Os gatos são animais territoriais e defendem o seu território, muitas vezes até à morte. Se o seu gato entrar em uma briga, as consequências serão piores do que o fato de acordar os vizinhos com os miados e berros. Os arranhões superficiais na face ou no dorso do animal não são tão problemáticos. Durante as lutas, eles podem ficar seriamente feridos, além de adquirirem doenças como a FIV, que é transmitida através de mordidas de gatos já doentes. Ou ainda, eles podem ter ferimentos provocados por mordidas que se fecham rapidamente, com sujeira e germes em seu interior, e que criam um abscesso doloroso, vários dias depois.

O seu gato não será atropelado.

Você sabia que todos os anos o número de gatos mortos por atropelamento é maior do que de gatos eutanasiados? Isso é sério, porque muitas vezes não é por maldade, mas o motorista não consegue desviar de um gato que passa correndo na frente do carro. E não se engane! Tanto os gatos filhotes quanto os adultos podem ser atropelados. Não é porque seu gato tem mais “experiência” fora de casa que ele não corre esse risco.

Seu gato estará protegido de cães e de animais selvagens.

gatos dentro de casa

Cães de maior porte podem ver um gato como uma presa, e atacá-lo, afinal o instinto pode predominar. Muitas vezes, o dono de um cachorro grande não consegue segurá-lo na coleira se ele decidir perseguir um gato.

O bichano, nestas situações, não tem muita chance de defesa, especialmente se tiver as unhas aparadas.

Além disso, os gatos de rua estão sujeitos aos perigos dos predadores selvagens, como as aves de rapina.

Gatos dentro de casa estão mais protegidos de muitas doenças.

Os gatos que andam fora de casa muitas vezes contraem parasitas e doenças bem sérias. Algumas das doenças podem inclusive ser fatais para seu gato! Você verá as listas das principais doenças que seu gato pode contrair na rua mais abaixo neste artigo.

Os seus vizinhos não ficam bravos e nem envenenam seu gato.

Todos sabem que muitas pessoas não gostam de gatos. Outras chegam a dizer o absurdo de que os odeiam. Seja como for, pessoas assim não toleram que o gato do vizinho use o seu jardim como caixa de areia, e podem oferecer alimentos envenenados, atirar com objetos, e matar ou machucar seriamente o seu felino. Lembre-se que gatos dentro de casa estão seguros e livres de más pessoas. Os gatos na rua infelizmente são alvos fáceis para pessoas que os odeiam, e muitas vezes não conseguem escapar da maldade delas.

Os gatos dentro de casa também podem fazer exercício.

Os gatos são animais que, assim como os cachorros, também necessitam de exercício. Mas não na mesma proporção. Por isso, um cômodo com espaço para eles correrem e muitas distrações é suficiente para manter a saúde do seu bichano. Você pode proporcionar brinquedos, arranhadores, e lhes dar sempre atenção com brincadeiras. Fazer um gatinho perseguir uma corda ou fita é uma boa opção. Eles ficam entretidos por vários minutos, até cansarem. Você concorda que isto tudo é bem melhor do que fugir de cães, ou lutar com outros gatos, não é mesmo?

Gatos dentro de casa não são uma ameaça para a vida selvagem.

Às vezes, manter seus gatos dentro de casa ajuda a proteger as demais espécies de animais. A realidade é que os gatos são animais predadores que perseguem ratos, pássaros, ou qualquer outro animal de menor porte. Até moscas, eles gostam de perseguir, não é mesmo? Você gosta quando seu gato lhe trás um passarinho fofo morto de presente? Não? Bom, então não dê liberdade a ele para caçar. Os ratinhos de brinquedos são presas suficientes para satisfazer as necessidades de “caça” do seu peludo.

Fica mais fácil perceber algum problema urinário ou intestinal. 

Quando os gatos fazem suas necessidades nas ruas, sem a presença de uma caixa de areia, não é possível perceber algum tipo de problema, como a dificuldade de urinar ou defecar. Muitos gatos sofrem de infeções urinárias, e não conseguem urinar porque o trato urinário fica bloqueado. Qualquer presença de muco ou sangue nas fezes e na urina é indício de que ele está com algum problema, e você deverá levá-lo imediatamente ao veterinário. Para aqueles que não gostam do odor da caixa de areia em casa, leia aqui o artigo com dicas sobre a limpeza da caixinha. Tudo se resolve!

Se você mantiver seus gatos dentro de casa, eles não morrerão de frio no inverno.

gatos dentro de casa

O frio dói se você não estiver agasalhado, não é? Bom, os gatos também sofrem muito com o frio e uma tempestade, ou baixa de temperatura repentina pode levar à morte por hipotermia, especialmente à noite.

Imagina se você deixa seus gatos com acesso à rua durante uma viagem, e eles não conseguem voltar para casa por qualquer razão?

Se for inverno, eles podem sofrer muito! Por isso, proteja os seus felinos!

Seu gato não irá se perder ou ser roubado.

Se um gato está andando sozinho pela rua, ele pode se perder ou ser levado por outra pessoa com boas ou más intenções, ou até mesmo pelo gatil. Coleira, neste caso, não necessariamente funcionará, pois ela pode sempre arrebentar, ou não ter identificação. Um gato com microchip não tem a garantia de que não será adotado por outra pessoa que o encontrar. Gatos de rua são muitas vezes levados para laboratórios de testes em animais, para fazerem experiências. Outras pessoas roubam gatos para atirar nas lutas de cães, e para treiná-los. Não quer dizer que isto aconteça com muita frequência, mas é sempre um risco. Então por quê arriscar?


 | Doenças que seu gato pode contrair na rua|

Um dos principais motivos que os gatos não devem sair de dentro de casa, como foi citado acima, é porque uma série de doenças felinas graves e fatais dissemina-se apenas com o contato com gatos infectados – ou com regiões onde há gatos infectados. Por isso eles podem adoecer na rua. As principais doenças que seu gato pode contrair na rua são:

* Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV): causa uma perturbação no sistema imunológico do gato, e é transmitido, sobretudo, por mordidas de gatos infectados.


Leia também: Conheça tudo sobre a FIV. 


* Vírus da Leucemia Felina (FeLV): geralmente requer contato direto prolongado com um gato infectado, por exemplo, o compartilhamento de caixas de areia ou de vasilhas de água e de alimentos, além do fato de que um animal acaba lambendo o outro, uma limpeza mútua.

* PIF (Peritonite Infecciosa Felina): é uma doença causada pelo coronavírus felino, e a transmissão ocorre através da ingestão do coronavírus presente nas fezes de gatos contaminados. Alguns sintomas são: febre, anorexia, perda de peso, diarreia e desidratação. Quando o vírus acomete o Sistema Nervoso Central, o gato apresenta alterações neurológicas, como dificuldade de locomoção, tremores, incontinência fecal e urinária, mudança de comportamento e até mesmo convulsões.

* Rinotraqueíte: conhecida como a gripe dos gatos. Causada por um vírus que ataca principalmente o sistema respiratório, é muito grave quando acomete os filhotes. O bichano fica com os olhos e o nariz cheios de secreção, e mesmo após o tratamento, a doença pode acompanhar o animal por toda a vida a cada queda de resistência.

* Clamidiose: uma bactéria que causa conjuntivite nos gatos e pode estar associada à rinotraqueíte.

* Panleucopenia: uma virose do trato intestinal que ocasiona diarreia e vômitos.

* Toxoplasmose: é uma zoonose, ou seja, pode passar dos animais às pessoas e vice-versa. É especialmente grave se contaminar uma mulher no início da gestação. O protozoário mora no intestino do gato e a contaminação de humanos se dá através do contato com as fezes dos gatos contaminados.

Dipilidium: dos vários tipos de vermes que um gato pode pegar, este é um dos mais frequentes. Transmitido pela pulga, parece um grão de arroz achatado e que se movimenta. Por isso, ao tratar verminoses nos gatos é indicado aplicar também um antipulgas, conforme orientação de seu veterinário.

* Hemobartonela: também é um protozoário transmitido pela pulga, mas parasita o sangue, especificamente as hemácias, causando anemia.

* Sarna: é um ácaro que coloniza os folículos pilosos, principalmente nas orelhas e face. Existe também a sarna de ouvido, que forma aquela sujeirinha preta dentro do conduto auditivo. Essa doença faz os animais se coçarem o tempo todo.

* Pulgas: não precisa de explicação, né?

 

* Câncer de pele: Embora seja pouco mencionado, os gatos também sofrem de câncer de pele devido à excessiva exposição solar. Os gatos de pelagem clara podem desenvolver carcinoma, que é uma doença bem séria.


Leia também: Curiosidades sobre Pulgas


| E se eu quiser levar meu gato para passear? |

gatos dentro de casa

Parece improvável, mas alguns gatos podem se acostumar a passear de coleira, como um cão. Se você quiser tentar, primeiro acostume o gato a usar coleira – sempre de peitoral – e guia dentro de casa.

Depois, inicie os passeios gradativamente, sempre retornando caso aconteça algo que deixe o gato muito estressado. E fique atento com a presença de cães na rua.

IMPORTANTE: Se for necessário, lembre-se de passear com ele na rua em horários em que sol não está muito quente, pois seu pet pode queimar as almofadinhas das patas no asfalto.


Se você ainda acredita que seu gato deve sair nas ruas para passear sozinho… Bom, esperamos que você nunca passe pela dor de ver seu peludo voltando machucado, ou talvez, nem voltando para casa. Você não quer isso também, certo?


Gostou deste artigo? Então lembre-se de compartilhá-lo clicando nos links abaixo!


Fontes: 

Artigo Anterior
Próximo Artigo
Compartilhe nas redes sociais!

Você também pode gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário