Doenças

Além da lágrima ácida: manchas no pelo podem revelar doenças sérias!

10 de Janeiro de 2017
manchas no pelo

Olá leitores do “Saúde do Meu Pet”!

Meu nome é Ana Corina, sou editora do blog “Mãe de Cachorro também é Mãe” e fui convidada pela querida Thayse para escrever um guest post para vocês. Espero que gostem! Abraços!


| Epífora |

Mesmo que seu cão​ ou gato ​não tenha​ a​​s manchas escuras abaixo dos olhos popularmente conhecidas como “lágrima ácida”, a leitura deste post é válida, pois olhinhos constantemente molhados e “chorosos” podem ser um alerta do organismo sobre várias doenças!

As manchas no pelo são apenas uma das consequências da epífora, que é justamente essa condição do animal estar com os olhos constantemente ​lacrimejados. A epífora pode ser indicar doenças sérias, pois é um sintoma, não uma doença. Vamos entender tudo melhor? Lágrimas ajudam a lubrificar os olhos, certo?

O excesso delas deveria ser drenado pelos dutos lacrimais. Dutos saudáveis drenam as lágrimas para o fundo do nariz, garganta abaixo. Mas quando eles não estão funcionando corretamente, o excesso dos fluidos escorre para fora dos olhos, pela face do cachorro ou do gato. As consequências mais visíveis são as manchas e a umidade no pelo.

| Fique atento! |

A epífora pode ser sintoma de várias doenças e nem sempre as lágrimas terão uma coloração que manche a pelagem, então é bom ficar atento para produção excessiva de secreção ocular, já que idealmente a área em redor dos olhos deve estar sempre seca.

Alguns pets com epífora podem simplesmente estar com alergias, sazonais ou não. Outros podem apresentar o sintoma porque seus dutos lacrimais estão parcialmente entupidos, ou mesmo mal posicionados. Mas outras causas mais graves, como conjuntivites, ferimentos, glaucoma ou cílios que nascem “encravados”, também podem ser o mal que a epífora denuncia.

Seja qual for o motivo do lacrimejamento excessivo​, o resultado é que o animal fica com​ a área abaixo dos olhos sempre molhada, o que acaba virando um verdadeiro paraíso para bactérias e fungos, praticamente um spa!

A infecção mais comum é causada por um fungo vermelho que produz manchas marrons-avermelhadas abaixo dos olhos, mas que também pode contaminar bocas e patas, conforme o cão se lambe. ​​Muitos outros fatores podem contribuir para o excesso de produção lacrimal, como água para beber que contenha altos índices de minerais, ingredientes nas rações secas (como polpa de beterraba), tintas em brinquedos de roer etc.


Está gostando deste post? Então se inscreva na nossa Newsletter e fique por dentro de tudo o que acontece no blog!


| Prevenção |

O melhor a ser feito é sempre pedir a um veterinário que examine seu peludo de maneira bastante completa para diagnosticar o que está causando o lacrimejar em excesso (epífora).

Visitas regulares ao veterinário podem prevenir infecções, otites, alergias e obstruções no canal lacrimal, todas condições ligadas ao aparecimento das manchas no pelo. Observe a dieta e o comportamento do peludo.

Corantes, aditivos, conservantes, milho, trigo e soja são ingredientes que podem causar alergias em cães e gatos. Esteja atento para coceira excessiva, lambedura das patas, balançar de cabeça e inflamações de ouvido, pois também são indicativos de alergias.

Mantenha os olhos do seu pet sempre limpos, evitando infecções e irritações. Remova sujeiras, cílios caídos, pelos mortos ou secreções que possam entrar no olho.

| Dica de sucesso| 

Mas a melhor dica que posso dar a vocês para combater o problema, por comprovação, é trocar a dieta do pet de rações industrializadas para a alimentação natural. Quando fiz a troca com meus cães, que sempre comeram ração “específica” ou, eventualmente, outras alternativas de ração super premium, este foi o primeiro problema a melhorar, o que aconteceu em pouquíssimo tempo.

Se seu cão já come alimentação natural, confira as dicas que a veterinária Sylvia Angélico dá sobre as manchas e experimente trocar carne desossada de frango, moela e fígado de frango por peças de outras espécies, como boi, peru, peixe ou porco; incluir vegetais ricos em potássio na porção de legumes da dieta: batata-doce cozida, banana, um pouco de abacate (não exagere para não soltar o intestino) ou lentilha bem cozida na porção de carboidratos.

Feitas as mudanças, aguarde algumas semanas e verifique se estão nascendo pelos branquinhos onde antes havia apenas pelo manchado. Se não estiver adiantando, pode ser indicado mudar o modelo de dieta para uma alimentação menos carnívora e totalmente sem frango. A veterinária pontua que em sua experiência clínica, em muitos casos o problema está relacionado ao consumo de frango.

Se seu pet é adepto da alimentação natural crua, experimente passá-lo para a versão cozida e totalmente sem frango, adotando a seguinte formulação: 25% de carnes desossadas (nada de frango), 5% de fígado (bovino ou suíno, não de frango), 40% carboidratos e 30% vegetais e observe os resultados. Se ele estiver recebendo alimentação cozida, simplesmente adote a formulação citada na frase anterior e omita todo tipo de frango.


Gostou deste artigo da Ana? Então não esqueça de compartilhar clicando nos links abaixo! Ajudem outra pessoas a cuidarem melhor da saúde de seus pets, principalmente se estiverem com manchas no pelo.


Visite e siga também as redes sociais do “Mãe de Cachorro também é Mãe!”

Artigo Anterior
Próximo Artigo
Compartilhe nas redes sociais!

Você também pode gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário