Geral

Gato sozinho em casa: posso deixar ou não? E por quanto tempo?

30 de agosto de 2017
gato sozinho em casa

Você planeja uma viagem com sua família ou amigos e, depois de organizar tudo, se lembra que você tem um gato e não sabe o que vai fazer com ele. E agora? Será que você pode deixar seu gato sozinho em casa? E por quanto tempo? Essa pergunta é muito comum entre os donos de gatos, e há muita divergência de opiniões.

Nós responderemos a esta pergunta, porém sempre lembrando o que é melhor para o gato, pensando no bem-estar e saúde dele e não apenas na comodidade para o dono.


Muitas pessoas acreditam que gatos são independentes e que precisam pouco de seus cuidados, mas isso é errado. Se você tem um cachorro, você o deixaria sozinho sem alguém para colocar comida ou passear com ele durante um dia inteiro? Com certeza não! E por que os gatos poderiam ficar sozinhos por dias então? Eles também precisam de muitos cuidados, atenção e de alguém que cuide deles. Quando somos tutores de cachorros é muito comum utilizarmos o serviço de hotelzinho ou deixá-los com algum parente ou amigo. Com gatos a história é completamente diferente, pois eles odeiam e sofrem muito se saem de casa e se ficam próximos de animais e pessoas desconhecidas. Mudar de ambiente gera estresse e muito medo no gato. Pode até mesmo deixá-lo doente dependendo da situação e do período que você passar fora. Além de que o gato pode tentar fugir se for levado a um lugar totalmente desconhecido e ”largado” lá. Afinal, eles não entendem o que está acontecendo.

A intenção é boa quando os donos decidem levar o gato junto nas viagens. Mas, talvez por falta de conhecimento ou por acreditarem que não há outra opção, eles se esquecem de que isso pode ser muito perigoso para o bichano. Às vezes o dono simplesmente não confia em ninguém para cuidar do seu pet. Não é nada fácil tomar a decisão de deixar o gato sozinho em casa. Meu coração fica partido quando eu deixo a Jolie nos finais de semanas em que preciso viajar. Mas saiba que existem diversas possibilidades pra deixar seu gato sozinho em casa e mantê-lo são e salvo.


| Por quanto tempo é seguro deixar meu gato sozinho em casa? |

gato sozinho em casa

 Será que é seguro deixar o gato sozinho em casa por 24 horas? Ou talvez 48 horas?

 Minha opinião é muito firme com relação a este assunto. O máximo de tempo que alguém poderia deixar o gato sozinho em casa é 24 horas, talvez 36 horas. Em circunstâncias extremas, 48 horas. Mas eu disse extremas! O melhor mesmo seria até 24 horas! Nos finais de semana que viajo na sexta-feira e volto domingo, sempre peço para alguém checar a Jolie no sábado. É simples. Mas tem que ser alguém de confiança e que também saiba cuidar de gatos.

Se você não concorda e acha que gatos podem muito bem ficar sozinhos por mais de 48 horas, continue lendo o artigo que nós vamos explicar os motivos por trás desta resposta!

Muitos gatos já ficaram por dias sozinhos em casa e estavam “bem” quando seus donos chegaram. Nenhum incidente ocorreu, nenhum móvel destruído. Mas você sabe se seu gato estava realmente bem ou você escolheu acreditar nisso por conta própria?


|Por que NÃO é recomendado deixar o gato sozinho em casa quando viajar? |

A resposta é direta: porque acidentes podem acontecer. Ninguém pode prever estes acidentes e imagine se algo acontece com seu bichano enquanto você está fora?

Alguns acidentes que pessoas não imaginam e que poderiam prejudicar a saúde do seu gato são:

#1. Seu gato pode se machucar em algum canto da casa, ou algum bicho venenoso pode aparecer (aranha, escorpião) e picá-lo, e não terá ninguém para cuidar dele.

#2. Se você deixar alguma janela aberta para refrescar o ambiente, a porta de algum cômodo pode bater e ele ficar preso no cômodo sem areia, água ou comida.

#3. A tigela de água pode virar e ele ficar sem água por dias. Ou pior, a água pode virar em cima da ração, e então ele não terá nem comida e nem água enquanto você estiver fora. Parece muito azar mas acontece. Há um caso de uma pessoa que deixou seu gato sozinho em casa por 2 semanas. E este acidente acima aconteceu provavelmente no primeiro ou segundo dia. O gato ficou sem comida e água por duas semanas. Quando o dono voltou, o gato estava muito doente e teve que ser internado. Ele sobreviveu, mas seu dono quase perdeu seu bichano por causa de uma falta de responsabilidade absurda que poderia ter sido evitada se ele tivesse solicitado alguém para checar seu gato de vez em quando.

#4. Ao deixar o seu gato sozinho em casa quando viajar, sem ninguém para vigiar e administrar a sua alimentação, ele pode comer tudo de uma vez só e passar fome depois.

#5. O pote de água pode ficar sujo e ele simplesmente não vai querer beber. Gatos gostam de água limpa e fresca, sempre!

#6. Seu gato pode ter uma doença assintomática, ou seja, ele aparenta bem e do nada tem um mal súbito. Um problema no coração ou obstrução urinária felina, qualquer um dos distúrbios pode ser fatal para seu gato em poucos dias. Pessoas já chegaram em casa e encontraram o pet sem vida, e isso poderia ter sido evitado se alguém tivesse cuidado dele enquanto estavam fora.

#7. Algo pode acontecer na sua casa, como um roubo, ou um incêndio, e você terá deixado seu gato sozinho em casa.

#8. Quanto mais tempo você ficar longe e menos cuidados o seu gato receber, mais ele ficará estressado, ansioso. E ele pode até parar de comer ou beber água, ficando mais suscetível a apresentar doenças como a lipidose hepática e diversos problemas renais e urinários.

->  Informações sobre a Lipidose Hepática <-

Gatos que não comem o suficiente ou que param de comer completamente, independente do motivo, ficam com pouca ou sem proteína para o corpo realizar suas atividades diárias, ficando dependentes de sua reserva de gordura corporal. Isso faz com que o fígado fique sobrecarregado de gordura e, por consequência, resulta em um quadro chamado Lipidose Hepática.

Os sintomas mais comuns dessa doença são: anorexia, perda de peso, letargia, desidratação, vômito, icterícia (mucosas amareladas), sangramentos nas gengivas e, em certas situações, alterações comportamentais ou sinais neurológicos como salivação excessiva, cegueira, coma e convulsões.

É uma doença muito grave, muitas vezes irreversível, apresentando alta mortalidade. O diagnóstico precoce e tratamento intensivo são extremamente necessários, e há possível cura em 60% dos casos.

 #9. A caixa de areia pode ficar muito suja e ele não vai mais utilizá-la. Gatos amam ter suas caixas de areia sempre bem limpas e podem até parar de usar a caixa caso ela esteja muito suja ou não tenha sido trocada há uns dias. Se seu gato for muito educadinho e não fizer as necessidades no chão de casa, ele pode segurar o intestino e isso pode causar maiores problemas para a saúde dele.


Leia também: Por quê e Com Qual Frequência Devo Limpar a Caixa de Areia do Meu Gato?


 #10. Seu gato pode comer algo que não deve, como um brinquedo ou um pedaço do sofá. Ele pode até falecer se não for levado ao veterinário imediatamente.

 #11. Gatos podem, sim, ficar tristes e depressivos se deixados muito tempo sozinhos, e podem ter alterações comportamentais.

gato sozinho em casa

 #12. Seu gato pode ficar com a unha presa no arranhador, cadeira ou sofá enquanto estiver afiando. Se não conseguir tirar sozinho, ele vai ficar com a pata pendurada, ou arrancar a unha de uma forma muito dolorosa.

#13. Seu gato pode derrubar alguma decoração e quebra-la. As peças quebradas / cacos de vidros, podem machuca-lo posteriormente. Tenha certeza que as decorações estão fora de alcance antes de deixar seu gato sozinho em casa.

Enfim, pense no seu gato como se fosse uma criança, um filho. Crianças geralmente não gostam de sair de casa a menos que seja do interesse dela, mas também não podem ficar sozinhas em casa, por questões de cuidados e segurança. A mesma coisa deve ser levada em conta para seu gato. A diferença é que ele consegue comer, beber água e fazer suas necessidades sozinho, a criança não!



| O quê eu posso fazer com meu gato quando eu for viajar? |

Já temos ciência de que o melhor ambiente para o gato é, certamente, sua própria casa. Tendo isso em mente, algumas dicas podem facilitar sua vida antes de viajar. Queremos dar opções que sejam boas para seu gato e convenientes para você.

1. Chame um amigo/familiar para cuidar do gato

Esta é uma alternativa barata, rápida e confiável. O melhor é manter seu gato em casa e pedir que alguém vá diariamente cuidar dele. Mas cuidado, talvez a pessoa que você mais confie não seja a mais adequada para cuidar do seu pet. O ideal é que você peça a alguém que também tenha gatos, e tenha afinidade por eles. A pessoa saberá cuidar da forma certa e terá conhecimento e preparo para agir em casos de emergência. Ela ainda deve passar um tempo brincando com seu gato. Por mais que ele não queira transparecer, seu bichano estará carente, e toda atenção é importante para ele.

2. Contrate um (a) pet sitter profissional

gato sozinho em casa

Atualmente, cuidar dos animais dos outros também virou uma “profissão”. Pet Sitters são pessoas que contratam seus serviços para cuidar dos pets quando o dono vai viajar. Eles são pessoas treinadas para atuar em situações de emergência, são pessoas que amam os animais e sabem cuidar deles, conhecendo todas as suas necessidades. Você precisa de alguém que vá fazer o seu gato se sentir seguro. Alguém que não só limpe a caixa de areia e alimente-o. Mas que entenda quais são os riscos e os cuidados necessários. Que controle a forma como ele está comendo e usando a caixa de areia, te deixe a par de tudo que está acontecendo. Alguém que seja esperto e prestativo, que saiba interagir com seu gato. E que use várias técnicas para minimizar o estresse de sua ausência.

Ao contratar um (a) pet sitter, você deve informar tudo o que for necessário sobre seu gato: onde fica a ração; quantas vezes dar o sachê por dia; localização da caixinha de areia e da pazinha; medicamentos; caso ele tome algum e quando administrar; onde os suprimentos são mantidos; informações do veterinário; informações de contato de emergência; onde a caixa transportadora do gato fica guardada; e quaisquer descrições adicionais sobre as personalidades e comportamentos dos gatos.


Leia também: Vantagens e Desvantagens de Contratar um Plano de Saúde para Pets


-> Quais as vantagens de uma pet sitter

Além de ser uma profissional treinada para cuidar do seu pet, um família ou amigo também pode querer viajar num feriado, ou pode ter um imprevisto e simplesmente te deixar na mão a poucos dias da sua viagem. Por se tratar de um favor, eles não verão isso como uma responsabilidade. E você terá que procurar um pet sitter de última hora. Os melhores já estarão com a agenda reservada. Além disso, é bastante improvável que seu vizinho ou amigo queira passar horas em uma sala de emergência durante os feriados com seu gato, se algo acontecer – algo que uma babá considera parte de seu trabalho.

IMPORTANTE: Há vários aplicativos hoje que mostram uma lista de pet sitters disponíveis na sua cidade oferecendo serviços para cuidar do seu pet. Entretanto, é importante que você veja a avaliação da pessoa, quantas vezes ela já foi contratada e os comentários de outras pessoas que já utilizaram seus serviços antes de fechar um contrato com ela. Você não deixaria seu filho com uma babá que você não tem referências ou que não parece confiável, não é? Pois tenha o mesmo cuidado com um pet sitter.

-> Quais as desvantagens de um (a) pet sitter?

Além de ser mais caro contratar um profissional para cuidar do seu gato ao invés de pedir o favor de um familiar, na primeira vez, um pet sitter será uma pessoa desconhecida, e se seu gato não se adaptar com ela, o cuidado não será tão efetivo quanto esperado. Por isso, é mais fácil quando o peludo já conhece a pessoa que vai cuidar dele.

3. Hotelzinho – Não é a melhor opção!

Hotéis para pets podem funcionar muito bem com cães. Entretanto, para a maioria dos gatos eles são algo aterrorizante, independente se o hotel parece ter 5 estrelas, cheios de arranhadores com catnip e petiscos liberados. Normalmente para um gato, nada supera a familiaridade de sua casa.

É claro que existem exceções, pois se o seu gato for mais extrovertido e tranquilo, e você conseguir achar um hotelzinho no qual ele se sinta bem e seja bem tratado, pode ser uma grande ajuda!

Por outro lado, para gatos tímidos, medrosos ou mais introspectivos (a grande maioria), ir para um hotel é uma experiência super desagradável, assustadora e muito estressante. Um gato mais idoso (com mais de 7 anos) pode, além sofrer um grande estresse, ficar exposto a agentes infecciosos, dos quais o corpo dele já não consegue mais se proteger tanto quanto antes.

Se o gato ficar estressado, algumas consequências terríveis podem acontecer:

O gato fica mais propenso a ter transtornos alimentares como parar de comer ou comer menos.

O gato fica mais propenso a beber pouca água, ficar desidratado e apresentar problemas urinários e renais.

O gato poderá estar mais propenso a ter pulgas, carrapatos ou até parasitas internos, por causa do contato com outros animais.

O gato fica mais propenso a doenças, como por exemplo FIV e FelV. O FIV (Vírus da Imunodeficiência Felina) e o FeLV (Vírus da Leucemia Felina) são duas doenças infecciosas muito comuns em gatos, e que levam à quadros de saúde muito complicados e graves. Geralmente o contato com gatos infectados podem transmitir estas doenças.


Leia também: Conheça tudo sobre a FIV.


Por motivos como os acima, não vamos recomendar a opção de hotéis para pets. Mas fica a seu critério escolher!


| Como evitar o sofrimento do pet ao deixa-lo sozinho em casa? |

Antes de adotar um animal, as pessoas não costumam dar muita importância a este assunto. Afinal, tantas pessoas deixam um cão ou gato sozinho em casa quando vão trabalhar e os animais não morrem por isso. Entretanto, quando começam a surgir coisas estragadas em casa, objetos partidos ou necessidades espalhadas pelo chão, o caso muda de figura. Não adianta punir o animal, pois ele apenas ficará mais estressado quando ficar sozinho.

John Bradshaw, diretor do Instituto de Antrozoologia da Universidade de Bristol, afirmou que “eles têm um tipo de memória diferente. Não são bons em raciocínio. Eles não conseguem olhar para trás e perceber que o que eles fizeram há uma hora é a razão de o seu dono estar zangado com eles”.

Além disso, o principal problema com as nossas saídas de casa é que animal não sabe se a nossa ausência é temporária. Fechar a porta de casa e sair para o trabalho é uma experiência normal para nós, mas pode ser muito estressante para os animais que ficam para trás. Será que meu dono vai voltar? Será que fui abandonado?

Por isso, seja para uma viagem de final de semana, férias, ou até mesmo ao sair para trabalhar diariamente, se você for deixar seu gato sozinho casa, você pode fazer algumas coisas para que ele não sinta tanto a sua ausência:

♣ Não altere a rotina

Os gatos são animais metódicos e gostam de seguir uma rotina. As refeições devem ser dadas sempre no mesmo horário e no mesmo local, assim como a caixa da areia deve estar no mesmo local e limpa, sem acumulação de fezes. É importante também que ele tenha acesso livre aos seus locais favoritos. Mantendo as rotinas em casa, o gato sente-se mais seguro e confortável.

 –

♣ Passe tempo de qualidade com o seu gato

Mesmo que necessite ficar várias horas diárias fora de casa, quando você estiver presente certifique-se que gasta tempo de qualidade para se dedicar ao seu gato. Ele precisa brincar, precisa ser mimado e precisa de colo. Deixe-o ficar ao seu lado no sofá. Dê bastante carinho – até ele começar a te morder por quê não quer mais – e mostre que ele é importante e que você nunca vai abandoná-lo. Dessa maneira, a sua ausência em certos períodos do dia ou da semana não farão com que ele pense que está sendo deixado de lado.

 –

♣ O ambiente de um gato sozinho em casa deve ser estimulante

Embora os gatos durmam durante a maior parte do dia, quando estão acordados — e sobretudo se estiverem sozinhos — necessitam de gastar energia. Dessa maneira, deixe alguns brinquedos disponíveis em casa, que façam o seu felino correr e saltar até ficar exausto. Assim ele ficará mais calmo.

 –

♣ Tente usar artefatos para acalmar seu gato

Hoje existem artefatos que ajudam a manter seu gato tranquilo na sua ausência. Um plug-in de feromônios usa feromônios artificiais para ajudar seu gato a ficar calmo. Você também pode manter algum ruído de fundo, como uma TV ligada, que pode ajudar com a ansiedade de estar sozinho.

 –

♣ Cuidado com as despedidas e os regressos

Gatos também têm ansiedade de separação. Por isso, evite transformar em um acontecimento toda vez que você for sair ou quando regressar. Haja naturalmente e, sobretudo quando sair, não encha o gato de mimos numa despedida prolongada. O carinho deve ser associado a um momento bom e não a um momento de despedida.

♣ Considere adotar outro gato

gato sozinho em casa

Parece loucura adotar outro gato, pois apenas um já está dando trabalho na hora de viajar. Pois saiba que a ansiedade de um bichano pode diminuir drasticamente se ele tiver a companhia de outro gato.

Mas nunca obtenha outro gato exclusivamente para o benefício de seu atual. Você deve estar totalmente comprometido com seu novo animal de estimação e trabalhar com todos os problemas que possam surgir entre seus pets.


Leia também: Compra x adoção de animais: 10 Motivos para você adotar um pet!


♣ Esteja atento a alterações de comportamento

Se o seu gato começar a se comportar de forma diferente, como fazer necessidades pela casa, miar ou lamber-se excessivamente, considere levar o peludo ao veterinário. Os gatos são muito discretos em relação aos seus sentimentos, então uma alteração de comportamento pode indicar um problema de saúde sério.


Dica legal!

Se alguma coisa acontecer com você enquanto você estiver fora de casa, como ficariam seus gatos? Eles seriam simplesmente esquecidos em casa? Pensando nisso, por quê você não cria uma carteirinha de emergência para manter na sua carteira caso você deixe seu gato sozinho em casa? Nela você pode escrever o nome, telefone e e-mail de duas pessoas de confiança que podem ser contatadas em caso de emergência.

Confira o exemplo abaixo:

carteirinha de emergência

carteirinha de emergência

Exemplo de carteirinha de emergência criada pelo o site Tudo Sobre Gatos.

Neste site você consegue fazer o download da carteirinha.


Resumindo:

Os gatos podem parecer independentes, mas isso não significa que eles não necessitem de companhia. Apesar de não serem extrovertidos com os seus sentimentos, os gatos apreciam a nossa companhia e gostam de nos ter por perto.

“A diferença entre cães e gatos é que os cães não fazem nada para disfarçar o seu apego, enquanto os gatos fingem ser coincidência estarem na mesma sala que você 97% do tempo.”

 Você não adotou seu gato por acaso, né? Então é sua responsabilidade mantê-lo seguro, saudável e feliz, mesmo sozinho em casa!


Gostou deste artigo? Então lembre-se de compartilha-lo clicando nos links abaixo, e ajude outras pessoas a decidir se deixarão o gato sozinho em casa!



Fontes:

Artigo Anterior
Próximo Artigo
Compartilhe nas redes sociais!

Você também pode gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário