Doenças

Confira algumas dicas para evitar problemas renais nos gatos!

4 de setembro de 2017

Os gatos possuem uma predisposição impressionante para apresentarem problemas renais. O problema pode variar de uma pequena pedra no rim, a qual pode ser expelida com o uso da medicação e da alimentação adequada, até o preocupante caso da insuficiência renal, que faz o gato (e seu dono) sofrer muito, necessitar de medicação forte, tratamento diário e alimentação própria para o cuidado com os rins, a qual costuma ser caríssima. Ou seja, os problemas renais nos gatos são preocupantes e merecem nossa atenção!

Como dona de uma gata adotada, que viveu cerca de três anos na rua, a saúde dos rins da Viviane sempre me preocupou muito, Afinal, ela passou bastante tempo sem ser devidamente alimentada e sendo exposta a diversas doenças e perigos. Para que a minha gata e os teus tenham qualidade de vida e chances reduzidíssimas de sofrerem com problemas nos rins, as dicas abaixo são muito importantes.


| Gatos idosos precisam ir mais frequentemente ao veterinário |

problemas renais nos gatos

Gatos de todas as idades podem ser acometidos por doenças renais, mas o organismo dos bichanos idoso precisa de mais atenção, pois ficam mais frágeis.

O ideal é que nós não descubramos doenças em razão dos sintomas que estão se manifestando em nossos bichinhos, e sim porque temos o hábito de realizar exames preventivos, os quais indicam qualquer pequena alteração.

Eu não sou veterinária, mas a profissional em que levo a Vivi me disse que realizar os exames de sangue uma vez por ano é suficiente, pois ela é uma gata relativamente jovem. No caso dos animais idosos, eu acredito que essa frequência deva aumentar para pelo menos duas vezes ao ano (seu veterinário é quem deve orientar esse acompanhamento).



| Invista em ração, economize em veterinário |

problemas renais nos gatos

Esta dica vale para prevenir todo e qualquer problema na saúde de seu gatinho, além de atuar na qualidade de vida dele. Nós, humanos, retiramos dos alimentos os nutrientes de que nosso corpo precisa. Já os gatos retiram os nutrientes essencialmente da ração seca.

É preciso escolher a melhor ração que caiba no seu bolso. Há três tipos de alimento seco: standard, premium e super premium.

Fuja das rações standard. Elas possuem poucos nutrientes, forçam o organismo do animal e são ricas em corantes. Tudo isso parece ruim, mas não é a pior parte. Essas rações costumam apresentar índices elevadíssimos de sódio, tudo de que o rim dos nossos gatos não precisa. Confira a embalagem e faça todo o possível para não comprar esse tipo de alimento.

A variedade premium já é consideravelmente melhor e pode ser utilizada sem grandes preocupações. Se o orçamento está um pouco mais tranquilo, não hesite em investir nas rações super premium, pensadas com mais esmero nas necessidades de nossos gatos. E não se esqueça: cheque a porcentagem de proteína (que deve ser alta) e de sódio em todas as embalagens que pensar em adquirir.


Leia também: Troquei de ração e meu pet parou de comer, o que eu faço?


| Ração úmida não é agrado |

Quando adotei a Viviane (ou foi ela quem me adotou?), eu não sabia nada sobre gatos. Comprei a ração que apresentava publicidade na televisão, sem pesquisar previamente, e tinha o costume de dar aqueles sachês de ração úmida uma vez por semana. Para mim, sachê era agrado, não alimentação.

Foi quando eu soube que os gatos bebem pouca água e que precisam ser incentivados. Como a ração úmida é composta por cerca de 70% de água, o ideal é que a gente a ofereça ao gato uma vez ao dia. Isso pode pesar no bolso, certo? Então precisamos tentar dar o maior número de vezes, de acordo com nosso orçamento. A boa notícia é que não há necessidade de ser tão seletivo na escolha do sachê, pois a grande maioria não possui muito sódio. Este tipo de alimento também ajuda a prevenir problemas renais nos gatos.

|Invista em um bebedouro… mas saiba que pode não funcionar! |

problemas renais nos gatos

Fonte: http://blog.gatoca.com.br

Os gatos não bebem água suficiente. Por isso, deixar mais de uma vasilha d’água disponível na casa é uma boa medida para lembrar o bichano.

Outra tentativa é comprar (ou fazer em casa) um bebedouro para gato, pois a água corrente costuma atraí-lo mais do que a água parada. No entanto, há um risco: pode ser que seu gato não dê a mínima para o objeto. Há cerca de um mês comprei um bebedouro de barro para a Viviane. Lindo e repleto de água constantemente fresca. A Viviane viu, cheirou e deu as costas. Ela já ignora o bebedouro há um mês.

Não se esqueça, contudo, que muitos gatos amam a novidade e passam a beber muito mais água!


| Soro subcutâneo para prevenir |

Essa medida é destinada aos gatos que apresentam alterações nos exames e tendência a ter problemas renais. Não é, portanto, uma ação que deve ser aplicada em todos os gatos.

O soro subcutâneo é um tratamento que pode ser feito preventivamente, ideal para animais idosos ou para aqueles que já apresentam algum indício de doença renal.

A aplicação do soro não é complicada e pode ser feita em casa, com orientação veterinária, caso o bichano seja mais tranquilo. A aplicação costuma ser realizada a cada dez ou quinze dias, dependendo dos índices de ureia evidenciados nos exames.

| Sintomas  dos problemas renais nos gatos |

Perder um bichinho ocasiona uma dor imensa, a qual é ainda maior quando vemos que nosso animal está sofrendo. Os principais sintomas de problemas renais nos gatos são falta de apetite, emagrecimento, vômito, mudança nos hábitos urinários e comportamentos estranhos, como se esconder.

Fique atento ao seu gatinho e não o leve ao veterinário apenas quando algum sintoma surgir. E se gostou desse post, compartilhe por meio dos links abaixo, e ajude outras pessoas a aprenderem sobre os problemas renais nos gatos!



Fontes:

 

Artigo Anterior
Próximo Artigo
Compartilhe nas redes sociais!

Você também pode gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário